_________________________________________________________


Data: fevereiro 10, 2021

A CASA CAIU: DEM pode cancelar mandato de Maia e enxotá-lo para fora da Câmara






Com as constantes ameaças do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, de deixar o DEM e se filiar a outra sigla, vem à tona a opção do partido de pedir o cancelamento do mandato de Maia e ocupar sua cadeira.


É como prevê a lei, o político pode perder o mandato caso cumpra a ameaça de filiar-se a outra sigla, a menos que o partido abra mão do seu mandato.




Só que para o azar de Maia, o DEM não parece que vai deixar essas ameaças passarem em branco. A relação entre eles está tensa.


A Resolução-TSE 22.610/2007 assegura que a desfiliação sem justa causa libera o partido para pedir a decretação da perda do mandato eletivo.


Com isso, se Rodrigo Maia confirmar sua saída do DEM, o partido pode pedir a vaga do parlamentar para o primeiro suplente da sigla assumir.



As ameaças de Maia, sobre sua saída do DEM, vem desde a derrota do seu candidato à própria sucessão da Câmara, onde, segundo ele, o partido cometeu "traição". A partir dessa discursão começaram os atritos.


Maia se assegura na ideia de traição para tentar classificar sua saída como fruto de “discriminação pessoal”, uma das justas causas para desfiliação.


E aí, acredita que Maia perderá seu mandato e será enxotado da Câmara? Comente!





NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo! - - SIMPLESMENTE MINHA OPINIÃO | ESSE BLOG É DE OPINIÃO PÚBLICA

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________






"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

BOLSONARO 38 (OFICIAL)
Grupo Público · 18.035 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

MAIS LIDAS