_________________________________________________________





Data: novembro 06, 2020

URGENTE: Roberto Jefferson denuncia plano da imprensa para derrubar Bolsonaro após Trump




Foto: Internet

A fraude para roubar Bolosonaro. Tal como na América a fraude será tentada aqui. Precisamos do voto impresso na urna, para checar a lisura da votação eletrônica.


A suspeita de muitos pelas possíveis fraudes e falcatruas para mudar o verdadeiro resultado das eleições presidenciais dos EUA tem dado o que falar. Visto isso, o jornalista conservador Roberto Jefferson conspirou e denunciou o plano da imprensa para derrubar Trump, e depois dele, derrubar Bolsonaro.


"As emissoras de TV por acaso são um tribunal da verdade? Como podem já dizer que as acusações são falsas se nem houve investigação a fundo ainda? A imprensa quer derrubar Trump, e depois dele, quer derrubar Bolsonaro. É o jornalismo com engajamento descarado e desavergonhado." diz R. Jefferson em seu Twitter.


Roberto Jefferson deixou bem claro que tudo não passa de um grande esquema da mídia, a nível mundial, que estão armando contra Donald Trump e já estão se preparando, aqui no Brasil, para fazer o mesmo com Bolsonaro em 2022.


A esquerda mundial está organizada para derrubar os governantes conservadores e continuar destruindo o planeta do jeitinho que eles querem e sempre sonharam.


Jefferson tem razão, cuidado Bolsonaro!



Publicidade

NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo! - - SIMPLESMENTE MINHA OPINIÃO | ESSE BLOG É DE OPINIÃO PÚBLICA

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________






"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

BOLSONARO 38 (OFICIAL)
Grupo Público · 18.035 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

MAIS LIDAS