_________________________________________________________





Data: agosto 31, 2020

Organizações internacionais podem deixar de reconhecer o STF como Suprema Corte do Brasil




Foto: Internet

O Brasil é o país da impunidade, aonde se mistura a troca de favores, quem tem dinheiro e poder, daqueles míseros pobres que continuam sendo usados apenas no momento de votar.


Bem vindo ao país onde a Suprema Corte presta o maior desserviço para a população que só tem valor na hora de votar. 


O STF pode deixar de ser valido para algumas organizações governamental internacionais, caso os ministros não reveja suas formas de prestar seus devidos serviços. 


A grande maioria dos brasileiros já não aceitam mais o STF como Supremo Tribunal Federal. Os que não aceitam vão as ruas manifestar e outros principalmente pelas redes sociais. No Twitter, por exemplo, a operação domina os assuntos mais comentados no momento. Hashtags como #CensuradoSTF, #DitaduradoSTF e #STFVergonhaNacional estão entre as mais utilizadas pelos usuários da plataforma no país.


Muitos estão pedindo o fechamento do STF, mas na verdade tem que ser pedido a "cabeça" dos ministros que lá estão e não fazem seu devido papel de fazer justiça.


Já tem inúmeras denúncias internacionais contra o STF, espere para ver os próximos capitulo dessa historia. 


Mas fiquem espertos, o STF acaba com a imagem do Brasil!



Publicidade

NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo! - - SIMPLESMENTE MINHA OPINIÃO | ESSE BLOG É DE OPINIÃO PÚBLICA

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________






"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

BOLSONARO 38 (OFICIAL)
Grupo Público · 18.035 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

MAIS LIDAS