_________________________________________________________





Data: agosto 11, 2020

O novo recado de Bolsonaro ao STF 'Estou sendo paciente demais'




Foto: Internet


O presidente Jair Bolsonaro considerou, em entrevista à Bandnews, uma “brutal interferência” do Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem para o comando da Polícia Federal (PF).


Bolsonaro afirmou também que está sendo “paciente demais e complacente demais”, e que não quer “dar soco na mesa” ou afrontar ninguém: “não afronte o Poder Executivo”. 





“Primeiro, no meu entender, foi uma brutal interferência do Supremo Tribunal Federal na escolha do diretor-geral [da PF]. A argumentação é que ele era meu amigo. Eu o conheci depois do segundo turno das eleições de 2018. Amizade que aconteceu ali foi natural. É o meu segurança, tinha que conversar com ele, tomava café sempre. Agora, tem ministro aqui, como o Ramos, que eu conheço desde 1973. O próprio Fábio Faria não poderia ser nomeado”, disse o presidente.



E mais:

“Foi mais uma brutal interferência do Supremo Tribunal Federal no Executivo. Não podemos concordar com isso. Acho até que estou sendo paciente e complacente demais. Não quero dar soco na mesa e afrontar ninguém. Agora, a gente pede sempre: não afronte o Poder Executivo. Nós não queremos medir força com ninguém. Queremos é administrar e conduzir o Brasil para um porto seguro.”



Publicidade

NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo! - - SIMPLESMENTE MINHA OPINIÃO | ESSE BLOG É DE OPINIÃO PÚBLICA

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________






"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

BOLSONARO 38 (OFICIAL)
Grupo Público · 18.035 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

MAIS LIDAS