_________________________________________________________


Data: abril 14, 2020

Politicagem da GLOBO sobre coronavírus, contra BOLSONARO, pode custar caro e fazer a emissora entrar em COLAPSO antes mesmo do SUS




Foto: Internet

A credibilidade da Globo já não é a mesma a muito tempo e com o surgimento do coronavírus e a politização escancarada que a emissora tem feito desta crise, tem revoltado a população que resolveu contra-atacar a chamada “Globo Lixo”.


Sim, os gritos de “Globo Lixo” que já eram constantes na internet têm ganhado forças e até não rua a população tem manifestado toda sua indignação.



Os repórteres já andam aterrorizados.

Apresentadores confrontados na rua, reportagens sendo interrompidas por gritos de Globo lixo, e outros atos repúdio registrados recentemente só prova tamanho do desprezo que o povo tem por empresa.


O povo tem enxergado a Globo como suja e desprezível, devido todo o pânico que tem disseminado nos brasileiros, além dos ataques constantes ao presidente Bolsonaro que tem trabalhado arduamente para amenizar os efeitos causados pela doença no país.



A popularidade da emissora está cada vez menor, e se continuar assim pode sofrer um grande boicote a qualquer momento, o que afetaria diretamente suas receitas milionárias gerando assim um verdadeiro colapso.


Você acredita que Globo pode sofre um grande boicote entrar em colapso? Comente!





NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo! - - SIMPLESMENTE MINHA OPINIÃO | ESSE BLOG É DE OPINIÃO PÚBLICA

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________






"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

BOLSONARO 38 (OFICIAL)
Grupo Público · 18.035 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.

MAIS LIDAS