_________________________________________________________





Data: dezembro 07, 2019

Brasil sobe no ranking de potências militares mundiais e segue como a principal força militar da América Latina.





A revista GlobalFirepower faz há 14 anos um elaborado ranking de 137 países com base em seus respectivos poderios militares. De acordo com o levantamento de 2019, o Brasil subiu uma posição, alcançando a posição de 13ª no ranking mundial das potências militares.

As Forças Armadas do Brasil ultrapassaram o regime islâmico do Irã, permanecendo como a principal força militar da América Latina. O estudo considera tamanho das Forças Armadas em pessoas e veículos, o orçamento para Defesa, sua infraestrutura e sua geografia.

Pela ordem, no ranking das potências militares do GlobalFirePower, estão à frente do Brasil:

Estados Unidos;
Rússia;
China;
Índia;
França;
Japão;
Coreia do Sul;
Reino Unido;
Turquia;
Alemanha;
Itália;
Egito.


Na comparação com as demais nações latino-americanas, de acordo com os números da GFP, o Brasil tem uma ampla vantagem bélica, tanto no número de militares disponíveis nas suas Forças, quanto na estrutura.”

Com um efetivo de 334,5 mil militares na ativa (15.º do ranking) e 1,34 milhão na reserva (7.º do ranking), as Forças Armadas do Brasil têm 1,67 milhão de pessoas que podem servir o país em uma eventual guerra, informa a Gazeta do Povo.



Publicidade

NÃO OS DEIXE NOS CENSURAR, INSCREVA-SE EM NOSSO CANAL NO YOUTUBE

Acadêmico de Ciências Contábeis, articulista político, entusiasta da comunicação e marketing digital. Deus acima de tudo!

______________________________________________________
COMPARTILHAR ARTIGO NAS REDES SOCIAIS
______________________________________________________



CONTEÚDO CORRESPONDENTE



"Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade é do autor da mensagem"

Pátria amada Brasil até morrer!
Grupo Público · 50.197 membros
Participar do grupo
Temos total liberdade de apoiarmos a direita encabeçada por Jair Bolsonaro e depois Sergio Moro. junte-se a nós.