Públicidade

URGENTE: ‘Supremo trama impeachment de Jair Bolsonaro’ diz militar

Não tem limites o cinismo e a falta de caráter da banda podre que está dominando a cúpula do Poder Judiciário.


Major-brigadeiro Jaime Sanchez

O ministro Ricardo Lewandowski teria publicado no jornal Folha de São Paulo, na última terça-feira, uma carta “em defesa do Estado democrático de direito”, na qual afirmou que “Bolsonaro sujeita-se a processo de impeachment caso venha a atentar contra o exercício dos direitos políticos, individuais ou sociais, extrapolando os rigorosos parâmetros que norteiam a atuação presidencial naquelas situações”.



O ministro se referia às declarações do presidente, de que utilizaria um decreto que permite o uso das Forças Armadas para a garantia da lei e da ordem (GLO), caso fosse instalado o caos através de badernas, à semelhança do que está ocorrendo em diversos países da América do Sul.

Antes da comentar esse absurdo, pergunto: o que o ministro Lewandowski fez quando o presidente Michel Temer emitiu decreto de GLO durante as manifestações por sua saída e contra as reformas trabalhista e da previdência, com muitos vândalos invadindo prédios e ateando fogo no Ministério da Agricultura? Nada.



Agora, quando diversas incitações recentes à violência, vindas da esquerda, podem realmente trazer o caos ao país, como a do ex-presidente Lula, logo ao deixar a prisão, incentivando sua gente a imitar os baderneiros do Chile; da presidente do PT, Gleisi Hofmann, afirmando que se prendessem o Lula iria correr sangue; do condenado José Dirceu, querendo “tomar o país”; do “sem-terra” Stedile, prometendo botar seus exércitos nas ruas, ele vira o arauto da democracia. Santa paciência!

Essas atitudes mereceriam uma ação enérgica que não tem sido adotada e, caso ocorram as hipóteses ventiladas, haveria motivo suficiente para irmos além da GLO, já que as instituições responsáveis por evitar essas badernas não estão aptas a fazê-lo.



Impeachment, excelência, mereceu a sua atitude, rasgando a Constituição, juntamente com o presidente do Congresso Nacional, que também deveria ter sido cassado, afrontando toda a Nação para manter os direitos políticos de uma ladra incompetente, que ajudou a afundar o Brasil.


Impeachment, merece sua gente que isentou o ex-presidente Lula do mensalão.

Impeachment mereceram vossas excelências quando, no caso do ex-ativista de esquerda Cesare Battisti, condenado à prisão perpétua na Itália por quatro assassinatos, fizeram a palhaçada de fingir que atendiam ao pedido da Itália para extraditá-lo, mas deixaram a decisão final a cargo do presidente Lula.



Impeachment deveriam ter recebido os paus-mandados da 2ª turma do STF, que votaram pela soltura do bandido José Dirceu.

Impeachment justo seria para aqueles que procuraram impedir o TCU de fiscalizar Itaipu Binacional, a maior patrocinadora de mordomias para integrantes do Judiciário, no apoio a palestras e eventos jurídicos e, mais recentemente, para os que tentaram evitar a utilização dos dados do COAF para combater a corrupção.

Impeachment merecem aqueles que votaram por 4 vezes a possibilidade de prisão após condenação em 2ª instância, até conseguirem o placar adequado para blindar o presidiário mais corrupto da história deste país, ameaçando a sociedade com a liberdade de milhares de criminosos de todas as naturezas.



Impeachment e cassação merecem aqueles que mantêm fora da pauta dezenas de processos contra ministros e políticos corruptos.

Impedidos e cassados deveriam ser todos aqueles que estão conspirando contra Brasil, através da desestabilização do governo e o extermínio do combate à corrupção.

Se quiserem, realmente, saber quem merece ser expurgado de suas funções: os ministros, os políticos ou o Presidente da República, façam uma pesquisa popular, não naqueles institutos aparelhados que, em 2018, garantiram que a anta seria senadora em Minas Gerais; erraram de propósito a vitória de diversos candidatos a governador e desidrataram (esse termo está na moda) a vantagem de Bolsonaro nas eleições.



Consultem um instituto isento e vossas excelências não irão se surpreender, pois já sabem o resultado, mas não têm humildade para renunciar, amor à pátria ou, ao menos, vergonha da família.

Em tempo: “recorrentes conspiratas” , palavras suas na mesma carta, são vossas excelências, pelo que fazem semanalmente, monocraticamente ou naquele plenário enfadonho em defesa da impunidade e da corrupção.

A metástase se alastra e o Brasil agoniza.

Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

Fonte: Notibras
Tags

Postar um comentário

4 Comentários
Os cometários não representam opinião do site, a responsabilidade é unica do autor do comentário. Todos os comentários são revisados pela administração.
  1. Alguma coisa séria precisa ser feita, o nosso país e nosso povo não suporta mais tanta sacanagem.

    ResponderExcluir
  2. A revolução francesa aconteceu exatamente porque um poder esmagava o povo. Agora no Brasil dois poderes esmagam o povo. Nada que o povo soberano não possa remover. É preciso lembrar que o STF está na ilegalidade enquanto os direitos políticos de Dilma perdurar, e agora mais ilegalidades o STF cometeu. Portanto, o povo pode exercer o poder de polícia e prender os juízes do STF por trair a democracia e a lei. Eles temem a fúria popular invadindo as suas instalações e tomando os juízes, deputados e senadores, e assim como diversas vezes eles fizeram em rasgar s constituição, o povo a rasgue e os puna com a pena de morte que é a pena dos traidores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. com certeza ainda é uma opção pois o povo não aguenta mais..e ão duvido que isto possa acontecer..ja que a esquerda grita que vai fazer igual ao Chile..ate o proprio Senador Humberto Costa ja incitou..
      e nós ?? vamos cruzar os braços?? ainda temos o exército!!!pra paz lei e ordem voltarem ao normal

      Excluir
  3. Esses togados fake,plantados por terroristas, precisam ser enquadrados e encaminhados ao calabolso de um presidio de segurança máxima. Quase 4 décadas já foi tempo suficiente pra deixar esses psicopatas brincando de escravizar nosso povo. Vamos aturar mais quanto tempo???

    ResponderExcluir

Publiciade

Publiciade